Arquivo | Receitas RSS feed for this section

O cachecol da vizinha

6 jul

A vizinha tinha me pedido um cachecol vermelho há tempos. Demorei, demorei mas já está pronto.

Fiz com dois novelos da lã Macarena, da Aslan (parte acrilico, parte poliamida e muuuuuuuito macio).

Como a lã tem uns pelinhos, não tinha como inventar muito. Então, foram 18 pontos na agulha 10, sendo 4 cordões de tricô seguidos de uma carreira de ponto alongado em tricô (você enfia a agulha em tricô e dá duas laçadas antes de puxar. Na carreira seguinte, você vai soltando a segunda laçada).

 A Dalila aprovou.

 Mãe, deixa eu ficar aqui!

Meias for dummies

18 jun

Enquanto eu não volto a costurar, deixo vocês ocupados. Eu sempre achei que fazer meias era a coisa mais difícil do mundo, mas resolvi encarar, a partir de uma receita da Pingouin. Quando estava quase terminando o primeiro pé, calcei e vi que a receita só podia ser para patas de elefante. Desmanchei tudo e criei minha própria receita.

As meias mais simples do mundo

Material
lã Kalu (ou cristal)
Um jogo de 5 agulhas nº3 ou duas circulares 40 cm com a mesma numeração

Execução
coloque 52 pontos nas agulhas, dividindo 13 pontos em cada uma. Atenção: na última agulha, fazer a junção com a primeira, entrelaçando o primeiro e o último ponto para fechar o círculo.
Faça  10 carreiras de ponto barra 1/1 e depois continue em ponto meia até alcançar a altura desejada.
Para o calcanhar, trabalhe com 26 pontos deixando os outros 26 na espera. A cada duas carreiras deixe um ponto de cada lado na espera. Repetir 8 vezes. Depois faça o contrário, a cada duas carreiras retome um ponto de cada lado. Ao terminar, continue tricotando em ponto meia.
PAra uma meia mais justinha, a cada 5 carreiras, tricote dois pontos juntos nas laterais da meia. Vá diminuindo até o fim do pé. Para terminar, arremate os pontos, e costure por dentro.

sugestão: ao invés de ponto meia, também é possível fazer com tranças, pontos rendados… use a imaginação!

Pausa nas costuras

28 maio

Agora que a feira acabou, é tempo de descansar um pouco, deixar a máquina de costura de lado e retomar outros prazeres, como o tricô.

O aniversário era da minha amiga Balla e ela estava me cobrando um cachecol que eu havia prometido (e foi?) há um ano.

Fui à Tricolandia, que não é o lugar mais barato para se comprar lã, mas sem dúvida é o lugar onde a gente encontra as mais bonitas, comprei 4 novelos de 50 gr da Frivolous e fiz um cachecol de aproximadamente 2,5m.

Como a lã já é toda trabalhada, a receita é simples: cordões de tricô indo e voltando para não enrolar.

A Ariela e a Cecília amaram

 

falando em troca…

1 set

Na primeira troca que eu fiz, eu ganhei um “brinde”. Uma das participantes me escreveu, a título de desabafo, o quanto tinha detestado a sua troca. Eu, para consolá-la, perguntei então se ela queria trocar comigo e ela topou.

Era a Júnia, de Minas Gerais.

A gente continuou mantendo contato via email e blog, e um dia ela lançou em Belo Horizonte um projeto solidário nos moldes do que a gente tinha criado aqui, com as finadas Tricoteiras de Sampa, para fazer mantas de tricô e doar para velhinhos em asilos. Era o projeto Tricô Solidário. (Atenção: ano que vem acontecerá a segunda edição).

Mas falando da troca, uma das coisas que vinha no pacote era um sachê de coração tricotado em verde. Achei a idéia tão boa, que pedi e ela cedeu a receita para eu publicar aqui:

 Sachê de coração (por Júnia Rachid)

Agulha, lã ou linha de acordo com a preferência e tamanho que se quer fazer o coração. Não tem regra pra esse item.

Colocar 2 pts na agulha e ir aumentando 2 pts a cada 2 carr (1 de cada lado) até a largura do coração ficar do tamanho desejado.

Fazer mais ou menos 6 carr (ou mais, se quiser o coração maior).

Fazer mais uma carreira e no centro dela arrematar os dois pontos centrais. A partir daí, começar a fazer cada lado separadamente: arrematar 1 pt de cada lado (no centro e na lateral) a cada 2 carr até terminarem os pts. Arrematar com 1 único pt. Fazer o outro lado igual.

 —————————————————————————————

 De quebra, eu ainda ganhei uma receita de pão de queijo. Eu ainda não fiz, mas se ela, que é mineira, diz que aprovou, é quase um selo de garantia do Imetro.

PÃO DE QUEIJO

§         1 kg de polvilho azedo (de boa qualidade)

§         1 copo grande de óleo

§         1 copo grande de água

§         1 copo grande de leite

§         8 ovos

§         1 colher (sobremesa) de sal

§         300g de queijo ralado (pois é… o queijo é só um pouquinho mesmo)

Ferver o óleo, a água e o leite juntos. Numa vasilha à parte, misture o polvilho com o sal. Despeje sobre essa mistura o escaldo (óleo, água e leite fervidos), mexendo até esfriar. Coloque os ovos e sove bem. Continue mexendo e ponha o queijo. Enrole com as mãos untadas em óleo e coloque para assar em forno médio pré-aquecido (175ºC).